Busca
    >Trabalhos

>Matérias   

Livros   Home Page  •  Ausculta  •  Piadas  •  Enviar Trabalhos  •  Fale Conosco  •  Mapa  •  Quem Somos

 
Fisiologia hepática, Sais Biliares e Secreção Biliar (1ª parte)

última atualização: 09/06/01 

  

 

Introdução

O fígado é irrigado, principalmente, por sangue venoso do Sistema Portal. Isso faz com que as patologias hepáticas tenham episódios hipóxicos.

O peso do fígado é de cerca de 1,5 Kg.

O tecido hepático está caracterizado por placas de células hepáticas. Entre vasos (sinusóides) e células temos o espaço de Disse. Além disso, o Sinusóide possui fenestrações.


1. FUNÇÕES HEPÁTICAS

1. Grande capacidade de captação devido às fenestrações que permitem o maior contado do sangue com a célula hepática (que tem microvilosidades). Aminoácidos, vitaminas, Lipídios e etc são captados.

O cirrótico apresenta característica alterada com a menor captação: O homem com características femininas secundárias, possui menor captação de estrógeno.A mulher com características masculinas secundárias, possui menor captação de hormônio masculino.

Quanto menor a captação maior é a concentração plasmática do hormônio.

Insuficiência hepática: alteração do metabolismo de carboidratos , lipídios , aminoácidos.

2.Transforma material captado em cromoléculas complexas. Ex:

aminoácido

Proteínas de coagulação sanguínea, glicose

glicogênio

 

3. Transforma substâncias tóxicas ou potencialmente tóxicas em substâncias atoxícas pelo mecanismo de coagulação(Conjugação da droga com posterior eliminação pela bile)

4. Devida a presença de célula Kupler (célula macrofágica) no espaço de Disse, o fígado tem função fagocitária .

5. Secreção de substância do hepatócito para o canalículo biliar.


Composição de bile

Bile:secreção hepática e excreção de substâncias que saem do fígado para canalículo biliar e daí para o intestino.

· Eletrólitos inorgânicos (Cátions e Ânions )

· Ânions orgânicos (bilirrubina , ácido biliares )

· Lipídios (colesterol, lecitina)

· Proteínas , peptídeos e aminoácido (glutationa , ácido glutâmico , ácido aspártico e glicina)


Bilirrubina

Em todos os tecidos onde existem macrófago, ocorre Catabolismo da hemoglobina (meia vida do eritrócito= 120 dias). Os eritrócitos são destruídos dentro e fora dos vasos ,neste caso ,no sistema retículo endotelial.

80 % da bilirrubina deriva da destruição de eritrócitos ao passo que 20% dela deriva de citocromos.

A hemoglobina tem cor avermelhada e estrutura cíclica. Ela é transformada em estrutura linear através de um sistema enzimático oxidante. A nova estrutura tem coloração verde e é a bileverdina. Esta é reduzida e sua dupla ligação é saturada. Quando isso ocorre forma-se a bilirrubina, a qual tem coloração amarelada.

A bilirrubina é insolúvel em água ( hidrofóbica ) e , então, difunde através de membranas.No fígado ela é conjugada com duas moléculas de ácido glicurônico. Ácido glicurônico é semelhante à glicose mas ,no C6 tem grupo carboxila e não hidroxila.

Quando ocorre tal conjugação ocorre tal conjugação, a bilirrubina conjugada fica solúvel em água ( a bilirrubina não conjugada é insolúvel em água).

A flora bacteriana (saprofítica) do intestino grosso tem sistemas enzimáticos que continuam saturando duplas ligações da bilirrubina. Isso origina outras substâncias ( urobilinogênio) de coloração incolor.Estas são produzidas a partir da redução da bilirrubina no intestino grosso.

O urobilinogênio pode sofrer pode sofrer oxidação ganhando uma dupla ligação formando a urobilina (pigmento amarelado). O urobilinogênio satura as duas últimas ligações da molécula através de redução. Forma-se, então, o estercobilinogênio, o qual tem coloração marrom alaranjada). Pelos motivos citados anteriormente, a urina e as fezes têm colorações, respectivamente, amarelada e marrom alaranjada. Na hepatite onde há alterações no metabolismo da bilirrubina, a urina tem cor de coca cola e fezes incolores. Se o estercobilinogênio é oxidado (ganha dupla ligação) forma-se a estercobilina , um pigmento negro.

Na ícterícea temos pele amarelada por acúmulo de bilirrubina. Isto é uma manifestação clínica do aumento da bilirrubina no plasma.

O primeiro jato urinário do dia tem cor amarelo intensa. Isso ocorre o organismo passou pelo menos 8 horas sem urinar.Com isso há concentração de urobilina na urina. Numa situação de nervosismo ocorrem várias urinações e com isso o urobilinogênio não se acumula e a urina torna-se incolor.

Sistema retículo endotelial

 

hemoglobina

biliverdina

bilirrubina não

 conjugada

 
sangue  

bilirrubina ---

 albumina

(bilirrubina

 indireta)

 

Fígado

 

Bilirrubina + 2

 glicuronato

 (bilirrubina

 conjugada)

Obs: Bilirrubina insolúvel em água que circula no plasma é ligada à albumina

Como proteínas não são filtradas no glomérulo, a bilirrubina indireta também não é filtrada. Se aumenta-se a produção de bilirrubina, não há albumina suficiente para se ligar a ela. Então o excesso de bilirrubina, por ser lipossolúvel, retorna ao tecido e se complexa com fibras do tecido (ícteícea).

O estreptococo hemolítico aumenta a degradação de hemoglobina e a produção de bilirrubina. Uma mulher que fez aborto em más condições contrai o coco hemolítico. Com isso tem sua destruição de hemoglobina aumentada e excesso de bilirrubina livre no plasma já que não há albumina suficiente para ligar-se a ela. Como resultado , a mulher desenvolve ícterícea pois a bilirrubina se acumula nos tecidos.

A bilirrubina indireta chega ao sinusóide hepático. Através de suas fenestrações, a bilirrubina indireta entra em contato com os hepatócitos e difunde pela sua membrana ( albumina permanece no sangue). A bilirrubina então no hepatócito, se liga à uma proteína hepática chamada Ligandina. Então, a bilirrubina fica solubilizada no interior do citosol da célula hepática (ambiente aquoso). A Ligandina leva a bilirrubina até o retículo endoplasmático rugoso(RER).

Então, a bilirrubina, livre da ligandina, difunde para o interior do RER. A ligandina , por sua vez, fica no citosol e volta para buscar mais bilirrubina que está chegando pelo sangue.

Dentro do RER existe um sistema enzimático chamado UDP glicuronil transferase. Esse é responsável pela conjugação da bilirrubina com ácido glicurônico formando a bilirrubina direta (solúvel em água).

A icterícea do recém nascido ( RN pré término ou prematuro) ocorre pois o sistema enzimático do bebê ainda não funciona e não há conjugação da bilirrubina. Temos ,então, icterícea por bilirrubina indireta.

A bilirrubina direta formada no RER do hepatócito é secretada de tal célula para o canalículo biliar. Daí, cai para o intestino delgado(ID). Depois do ID, passa para o intestino grosso (IG). No colo, onde há flora bacteriana, ocorre saturações de ligações formando urobilinogênio (incolor).

 

continuação

  índice fisiologia


Home Page  -  Livros  -  Matérias  -  Trabalhos Científicos  -  Ausculta Cardio-Pulmonar  -  Enviar Trabalhos  - Links
Agenda Médica
  -  Mapa do Site  -  Quem Somos  -  Fale Conosco  -  Enquetes - Testes Interativos - E-mail

EstudMed.com® 2001-2011 Todos os direitos reservados.